28 de julho de 2015 Thiago Melo

4 curiosidades do Play by Play

Entre junho e julho, foram realizados dois encontros para a realização do “Play by Play”. Neste formato de evento, foi construída uma aplicação web em tempo real igual ao Evernote, utilizando o Ruby On Rails. Quem conduziu com maestria o desenvolvimento foi Marcos Neves, desenvolvedor há mais de 15 anos, encarando o desafio de programar ao vivo, mesmo com todas as possibilidades de as coisas darem errado. E no final, deu tudo certo!

Muitos resultados positivos foram obtidos nos encontros. Os quatro principais dele você confere abaixo:

1 – A magia no ar

Ao escolher o Ruby On Rails para o desenvolvimento da aplicação, uma coisa ficou clara. O nível de conhecimento para conseguir acompanhar o desenvolvimento era alto. Até mesmo programadores “rodados” ficaram perdidos com tanta coisa “automágica”. Mas não é por menos, a tecnologia foi pensada e construída para fazer o desenvolvedor feliz e fazer muito mais com muito menos.

2 – O cliente

Obedecendo aos requisitos do cliente (representado por mim mesmo!) a interação ficou muito mais próxima da realidade, onde a construção da aplicação obedecia cada nova solicitação do cliente. Utilizando o GIT, foi possível acompanhar facilmente todo o processo.

3 – O acompanhamento

Mesmo depois de finalizada a construção, ao acessar o log do GIT é possível facilmente ver toda a evolução do desenvolvimento. Mas a graça do Play By Play é ver as coisas tomando vida ao vivo, ver de perto as entranhas dos códigos de uma aplicação sendo construída. É quase como acompanhar uma cirurgia ao vivo!

4 – Adrenalina

A cada enter para executar uma linha de comando, um frio na espinha. A adrenalina dos riscos que envolvem o dia-a-dia de um programador, como erros conhecidos, erros desconhecidos, bugs, travamentos, e etc era sentida a todo momento. E por competência (ou sorte?) poucas vezes o aplicativo “deu pau”. Ponto positivo para o Marcos Neves, que conduziu de maneira simples, clara e objetiva toda a construção do app.

Bônus

Dá só uma olhada no depoimento do Leonardo Saraiva, desenvolvedor experiente (ex-Buscapé) que pegou a estrada para participar do evento. Confira o post que ele fez lá no Medium: https://medium.com/@vyper/play-by-play-ruby-on-rails-2-84b9eadf4234

 

Com poucas horas de mão na massa, tivemos um aplicativo web totalmente funcional muito próximo do Evernote (acho que ficou até melhor!). Agora ficou claro o porque de o Ruby On Rails ser o framework mais popular entre as startups do mundo todo.

Confira:

Sobre o autor

Thiago Melo Viu a internet nascer e desenvolve "desde criancinha". A web sempre foi sua paixão e acredita em uma tecnologia cada vez mais presente e invisível. É administrador por formação, um empreendedor de coração e desenvolvedor de sangue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

a onda que vem do sul

Dúvidas, sugestões, críticas, elogios, doações, desabafos, e etc só escrever!